Biografias

Conferencistas / Keynote speakers

Baudouin Jurdant is professor emeritus at the Université Paris Diderot (Paris 7). Born in 1942 in Belgium (Liège), he lives in France (Strasbourg) since 1950. He started his professional career as a journalist in a daily newspaper in 1962. At the same time he studied at the University of Strasbourg and graduated in 1966 in Social Science. In 1968 he became the assistant professor of Abraham A. Moles. He submitted his doctoral dissertation in 1973 on The theoretical problems of the popularization of science. The thesis was to be published nearly 40 years later, in 2009. From 1969 to 1974, he worked as a Teaching and Research Fellow at the University of York (UK) in the Department of Language, where he contributed to a sociolinguistic survey in Central America (Belize). Back in Strasbourg, he was appointed as Reader in Philosophy of Science in the Department of Economics of the University Louis Pasteur. He joined GERSULP, one of the first research teams devoted to Science Studies in France. He became director of the group in 1976 and submitted a new Doctoral Thesis in 1984. The title of the thesis was Writing, money and knowledge. From 1982 to 1990 he was one of the executive editors of Fundamenta Scientiae, an international journal devoted to the Philosophy of Science and to Science Studies.

Pedro Russo é astrónomo da Universidade de Leiden (Holanda). Coordenou globalmente o Ano Internacional de Astronomia 2009 (AIA2009), uma iniciativa da UNESCO e da União Astronómica Internacional e proclamada pelas Nações Unidas. O AIA2009 foi o maior projecto de divulgação científica de sempre e chegou a mais de 800 milhões de pessoas, 2 milhões das quais em Portugal. Com 148 países envolvidos, o AIA2009 tornou-se a maior rede de ciência do Mundo. Desde 2011, Pedro Russo coordena globalmente o programa de educação para a astronomia Universe Awareness. Este programa internacional usa o fascínio da astronomia para cultivar a noção de perspectiva, promover a cidadania global e estimular o interesse pela ciência em crianças com idades entre os 4 e os 10 anos. O Universe Awareness recebeu o prémio SPORE da revista Science em 2011. Em 2009 foi o director de produção da série da RTP “1 Minuto de Astronomia”, série vencedora do Prémio Nacional Multimédia de 2010. É autor de diversos artigos em livros e revistas científicas e membro de distintas comissões em organizações como a União Astronómica Internacional e a Federação Astronáutica Internacional.

Cristina Ribas is a biologist and a journalist. She holds a master’s degree in Science Communication. She currently works as Business Consultant at Hewlett-Packard, as a teacher of Digital Journalism at Pompeu Fabra University in Barcelona and is co-director of a postgraduate programme in Digital Communication Strategy (IDEC-UPF). She is the president of the Catalan Association of Scientific Communication (ACCC), a member of the World Federation of Science Journalists (WFSJ) and of the European Union of Science Journalist’ Associations (EUSJA). She is a regular contributor to the radio program L’Internauta (podcast).
Projects: Collaboration with the International Expo Zaragoza 2008. Collaboration with the Agència d’Informació, Avaluació i Qualitat en Salut. Consultant at the Centre de Telecomunicacions i Tecnologies de la Informació de la Generalitat de Catalunya. Consultant at C3Cat, the eGovernment project of the Autonomous Government of Catalonia (2004-2010). Director of “Einstein on the beach”, a television program at Barcelona TV about science, health and environment (2001-2004). Director of the online newspaper Diari de Barcelona (1998-2002). Coordinator at Millennium, a debate program in the Catalan Public Television (1996-1999). Chief Editor of Quark, Ciencia, Medicina, Comunicación y Cultura (1995-1997). Regular contributor to La Vanguardia Science and Health Supplements until they were closed in 1997.

Martin Pawley exerce intensa actividade na crítica e promoção de cinema, em particular no que se relaciona com temas científicos. Integra a equipa da produtora galega Zeitun Films (de “Todos vós sodes capitáns”), é crítico de cinema (co-autor do blogue Acto de Primavera) e programador de sessões e ciclos de cinema. Para além disso, escreveu e realizou com Marcos Pérez o documentário científico “Ilusiones visuales” (2006), com a participação de cientistas galegos. Dirige vários workshops sobre cinema em centros públicos para fins culturais e sociais na Galiza. Participa também em projectos de divulgação de ciência: divulga astronomia no programa “Efervesciencia” da Radio Galega, é membro da Agrupación Astronómica Io e da Asociación de Amigos da Casa das Ciencias. Entre 2007 e 2011 foi o responsável pela Mostra de Ciencia e Cinema da Coruña.

Mesa-redonda: Como envolver os cientistas na Comunicação de Ciência

Ana Delicado é socióloga, doutorada pelo Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa (2006). Trabalha principalmente na área dos estudos sociais de ciência. É atualmente investigadora auxiliar do ICS e vice-coordenadora do Observa – Observatório de Ambiente e Sociedade. Já desenvolveu investigação sobre organizações não-governamentais de luta contra a sida, museus e cultura científica, mobilidade internacional dos investigadores, a comunidade científica e alterações climáticas, associações científicas. Coordena atualmente um projeto sobre os consensos e controvérsias sociotécnicas sobre energias renováveis. Colabora ainda em projectos sobre o uso da Internet pelas crianças, mudanças costeiras e alterações climáticas, a história do nuclear em Portugal. É autora de vários livros e artigos em revistas científicas nacionais e internacionais.

David Marçal é doutorado em Bioquímica pela Universidade Nova de Lisboa (2008). Fez investigação em contexto industrial e académico. Entre 2003 e 2011 foi autor do Inimigo Público, um suplemento satírico do jornal Público, tendo escrito numerosos textos de humor sobre temas científicos. Entre 2004 e 2005 foi redactor da revista Kulto, uma publicação dirigida a crianças dos 7 aos 13 anos distribuída com o jornal Público, na qual escreveu sobre temas de ciência. Foi também jornalista de ciência no jornal Público, por um curto período em 2006, no âmbito do programa “Cientistas na redacção”. Desde 2009 é coordenador dos Cientistas de Pé, um grupo de stand-up comedy formado por investigadores científicos. Autor de vários espectáculos de teatro e programas de televisão sobre temas científicos. Co-autor, juntamente com Carlos Fiolhais, dos livros “Darwin aos tiros e outras histórias de ciência” (Gradiva, 2011) e “Pipocas com telemóvel e outras histórias de falsa ciência” (Gradiva, 2012). Co-autor e coordenador do livro “Toda a Ciência (Menos as Partes Chatas)” (Gradiva, 2013). Em 2010 ganhou o Prémio Químicos Jovens (atribuído pela Sociedade Portuguesa de Química) e o Prémio Ideias Verdes (atribuído pelo jornal Expresso e a Fundação Luso).

Pedro Lind nasceu em Lisboa em 1976, é licenciado em Física (1999) e doutorado em Física-Matemática (2003. Foi investigador da Universidade de Estugarda, Alemanha (2004-2008), como bolseiro da Fundação para a Ciência e a Tecnologia e da Deutsche Forschungsgemeinschaft. Desde 2008 é investigador na Universidade de Lisboa. Além de trabalhar em tópicos de Física Teórica, dedica algum tempo à divulgação de ciência, tendo sido um dos promotores do projecto Ciência na UL e participante e organizador dos encontros Mateus DOC na Casa de Mateus. Conta também com alguns artigos de divulgação em jornais.

Catarina Ramos is a biologist from Aveiro who recently left the bench to start the Science Communication Office at the Champalimaud Neuroscience Programme (CNP). After an internship at Novartis in San Diego (USA), Catarina moved to Milan to study Hutington’s disease as a GABBA PhD student. She returned to Portugal in 2007 and started a postdoc at IMM in Lisbon where she studied how neurons acquire their identity during spinal cord development. In 2011 she enrolled in the Master in Science Communication from Nova University and since April she coordinates the CNP Science Communication Office. Catarina has been involved in several science communication initiatives, namely the organization of Ar | Respire connosco outreach events and the coordination of Sciencecalifragilistic, a science education programme, both represented at the SciComm 2013.

Mesa-redonda: Como envolver os media na Comunicação de Ciência

Ana Sousa Dias nasceu em Lisboa em 1956 e é jornalista desde 1976. Trabalhou em jornais, revistas, rádio, televisão, agência, e é actualmente assessora de imprensa da Fundação José Saramago, além de colaboradora das revistas Ler e Up. Manteve na RTP2 durante seis anos e meio o programa de entrevistas “Por Outro Lado”, para o qual convidou mais de 300 personalidades portuguesas e estrangeiras, de áreas diversificadas, com destaque para a cultura e a ciência.

Arminda Sousa Deusdado é jornalista e coordenadora editorial do programa Biosfera, com emissão na RTP desde 2004. Realização e coordenou diversos documentários e séries documentais de ciência, nomeadamente de ambiente (“O sabor da despedida”) e geologia (“GeoPortugal I”; “Geosfera”, série documental de 7 episódios gravado em vários geoparques europeus; “GeoPortugal II”). Em grelha brevemente uma outra série documental sobre o “Maravilhoso mundo das fibras”, a ciência que nos rodeia no desporto, na medicina, segurança, arquitectura ou nos transportes. Fez várias entrevistas a cientistas nacionais e estrangeiros no âmbito dos diversos trabalhos que realizou.

Rui Brito Fonseca é doutorado em Sociologia e Mestre em Ciências do Trabalho pelo ISCTE-IUL. Licenciado em Ciência Política com especialização em Relações Internacionais, pela Universidade Lusófona. É, desde 2000, investigador no CIES-IUL, onde tem vindo a desenvolver trabalho sobre comunicação, media e compreensão pública da ciência. É também docente no Instituto Superior de Ciências Educativas. A sua tese de doutoramento intitulada A Ciência e a Tecnologia na Imprensa Portuguesa: 1976-2005, focou o tema da cobertura de ciência e tecnologia, em diversos jornais portugueses, de circulação nacional. Recentemente, também analisou a cobertura de ciência na televisão portuguesa free to air. É também autor de múltiplas publicações científicas nas áreas da comunicação de ciência, comunicação em saúde e compreensão pública de ciência. (http://www.cies.iscte.pt/investigadores/ficha_completa.jsp?pkid=61&subarea=todos)

Sara Sá: Em pequena quis ser astronauta ou cientista. Aos 17 anos, e perdida entre tantas opções de licenciatura, escolheu o novíssimo curso de engenharia aeroespacial, no Instituto Superior Técnico. Rapidamente percebeu que a engenharia não era o seu mundo, mas deixou-se ficar até ao fim, convencida de que um engenheiro pode fazer, ou ser, aquilo que quiser. Uma breve passagem por uma companhia aérea e outra por uma empresa de componentes eletrónicos tiraram todas as teimas. Foi salva pelo curso de Jornalismo de Ciência e Ambiente, no Cenjor. Fez o estágio na revista Visão, no fim do qual foi convidada a ficar. Tem escrito sobre todos os temas que se relacionem, ainda que remotamente, com a Ciência e a Saúde – da Astronomia à Gripe. Continua a considerar um privilégio poder estar frente-a-frente com uma pessoa e perguntar-lhe tudo o que lhe vem à cabeça. E pagarem-lhe (ainda que pouco!) para ser curiosa. Tem feito algumas formações em comunicação de Ciência, em jornalismo multimédia ou História da Ciência. Venceu o Prémio de Jornalismo Direitos Humanos e Integração, do Gabinete para os Meios de Comunicação Social e da UNESCO, com o trabalho “O meu corpo não é o meu Sexo”, publicado na revista Visão.

Mesa-redonda: Como envolver os públicos na Comunicação de Ciência

Maria João Leão licenciou-se em Biologia pela Universidade de Coimbra e tem mestrado em Biotecnologia pela Universidade de Leicester (UK). Frequentou o Programa de Doutoramento em Biologia e Medicina do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) e fez investigação nas áreas da virologia e do cancro da mama no Imperial College e no Breakthrough Breast Cancer, no Reino Unido. Foi coordenadora, de 2007 a 2012, de projectos de angariação de fundos e de comunicação de ciência no IGC, onde desenvolveu parcerias inéditas com a Everything is New e com a Vista Alegre. É atualmente Diretora Executiva da Maratona da Saúde, uma associação sem fins lucrativos criada recentemente em Portugal que tem como principais objectivos a angariação de fundos para a investigação biomédica a nível nacional e a sensibilização da sociedade para a importância da ciência.

Miguel Pina Martins tem 27 anos e é director da Science4You, empresa pioneira na concepção de brinquedos científicos em Portugal. Entre as distinções que já recebeu conta-se o Prémio de Empreendedor do Ano 2010 (Comissão Europeia), o Prémio Empreendedor Finicia Jovem 2009 IAPMEI e o Iº Prémio da European Entrepise Awards na Categoria de Internacionalização a nível Nacional. A Science4You foi criada em 2008 com base no projecto final de curso de Miguel Pina Martins e com o apoio do ISCTE (onde se licenciou em Finanças e tirou o mestrado em Gestão) e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, que certifica todos os brinquedos da empresa. Para além dos brinquedos, a Science4You realiza festas de aniversário, campos de férias científicos e workshops de ciência. A empresa conta neste momento com 14 sócios e 18 colaboradores, conhecendo uma expansão crescente. Actualmente, a Science4You vende os seus brinquedos também em Espanha, Angola, Moçambique, Brasil, Reino Unido e Finlândia e atingiu um volume de negócio na ordem do milhão de euros em 2012.

Patricia Filipe é responsável pelo Departamento de Educação e Comunicação do Oceanário de Lisboa. A sua paixão pelo mar e interesse pela diversidade da vida marinha levou-a à licenciatura em Biologia pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, tendo investido numa carreira dedicada ao conhecimento, à divulgação e à educação ambiental para a conservação dos oceanos. A sua experiência nas áreas da educação, do lazer e do entretenimento firmou-se ao longo de 13 anos como responsável pelo Programa de Educação do Oceanário de Lisboa, coordenando a conceção de conteúdos expositivos das exposições, de programas e de projetos diversos. Além do programa de Educação, coordena o planeamento do marketing e comunicação, nomeadamente a estratégia de marca e seu posicionamento. Tem pós-graduações em Educação para a Conservação pela American Zoo and Aquarium Association, em Liderança pela Universidade Católica de Lisboa e em Marketing e Comunicação pela Kellogg School of Management, E.U.A.

Catarina Ramos is a biologist from Aveiro who recently left the bench to start the Science Communication Office at the Champalimaud Neuroscience Programme (CNP).
After an internship at Novartis in San Diego, Catarina moved to Milanto study Hutington’s disease as a GABBA PhD student. She returned to Portugal in 2007 and started a postdoc at IMM in Lisbon where she studied how neurons acquire their identity during spinal cord development. In 2011 she enrolled in the Master in Science Communication from Nova University and since April she coordinates the CNP Science Communication Office. Catarina has been involved in several science communication initiatives, namely the organization of Ar | Respire connosco outreach events and the coordination of Sciencecalifragilistic, a science education programme, both represented at the SciComm 2013.

Comissão Científica

Ana Correia Moutinho (n. 1972) é doutorada em Biologia Celular (2001). Foi jornalista de Ciência de 2000 a 2002 e investigadora de pós-doutoramento no ISEG/UTL na área da política de ciência e cultura científica (2003/2005). Coordenadora do Gabinete de Apoio à Investigação da Universidade de Lisboa (2005/2009). Consultora de comunicação para as Parcerias Internacionais do MCTES (2009/2011). Docente da disciplina de Ciência e Sociedade no Mestrado em Comunicação de Ciência da UNL. Professora convidada do ISEG/UTL e responsável pelas disciplinas de Política de Ciência e Tecnologia e Comunicação de Ciência, Tecnologia e Inovação.
Desde 2011, é responsável pela coordenação dos serviços de investigação da Universidade de Lisboa.

Ana Godinho is currently Head of Communications at Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), the Portuguese national funding agency for science and research. In this role she coordinates, external affairs, government affairs, media and internal communication. Before joining FCT, Ana was head of Science Communication and Outreach at the Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC), a leading life-science research institute in Portugal, a position she took up after moving from the Institute for Stem Cell Research (ISCR), in Edinburgh, where she was Scientific Communication Officer. Ana has a PhD in Developmental Neurobiology from the University of London, and was a post-doctoral Research Fellow at the MRC Centre for Developmental Neurobiology, King’s College London. She has an MSc in Science Communication from the Open University, UK, was a trainer on the FP7-funded ESCOnet trainers network, and coordinated the FP7 Researchers’ Night 2009 project in Portugal. Ana has presented her work at international science communication conferences, coauthored papers and a children’s book of science experiments and collaborated in outreach projects in Europe, Africa and Brazil.

Ana Sanchez is currently the head of the Communication and Science Outreach Office at ITQB, a research institute in chemistry and biology. With an assistant professor level position, her duties include institutional communication, which encompasses media relations and tools such as webpage, social media, brochures, annual report; and the institute’s outreach program, which involves organizing science events for the public, interacting with schools, and supporting researchers in their outreach activities. In addition, she is committed to science communication training within ITQB and together with António Granado, has started and now coordinates a Masters Course in Science Communication at UNL. She holds a PhD in Biology from the University of Nijmegen, The Netherlands and has worked as a post-doctoral researcher in a plant molecular biology lab.

António Firmino da Costa é doutorado em sociologia, professor catedrático do Departamento de Sociologia do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa e investigador do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-IUL). Tem desenvolvido pesquisa sobre desigualdades sociais, ciência e sociedade, literacia e educação, identidades culturais e culturas urbanas. Os seus interesses científicos incluem ainda a metodologia das ciências sociais e a prática profissional dos sociólogos. É autor ou coautor de cerca de uma centena de publicações científicas (livros, capítulos de livros e artigos em revistas científicas) e orientador ou coorientador de perto de quarenta teses de doutoramento.

António Gomes da Costa é doutorado em bioenergética pela Universidade de Coimbra, onde foi professor e investigador. De 2000 a 2010 fez parte da Ciência Viva, onde foi membro da direcção, responsável do Departamento Educativo e director do Pavilhão do Conhecimento. Foi presidente do Programme Committee do Ecsite (www.ecsite.eu) de 2009 a 2011. É membro do Editorial Board do Journal of Science Communication (http://jcom.sissa.it). Foi coordenador nacional de vários projectos europeus em Ciência e Sociedade. Presentemente é consultor de comunicação em ciência e coordenador europeu do projecto PLACES (www.openplaces.eu).

António Granado é editor multimédia da RTP e professor auxiliar de Jornalismo na Universidade Nova de Lisboa. Trabalhou como jornalista no Público, um dos principais jornais de referência de Portugal, onde foi também editor de ciência, sub-director, chefe de redacção e, mais recentemente, editor do Publico.pt. Tem um mestrado em Jornalismo de Ciência pela Universidade de Boston, nos Estados Unidos, e um doutoramento em Ciências da Comunicação pela Universidade de Leeds, no Reino Unido. Como jornalista escreveu principalmente sobre temas de ciência e ambiente. É autor, desde Janeiro de 2001, do Ponto Media, um weblog sobre jornalismo em português.

Carlos Catalão Alves é licenciado em História pela Universidade de Lisboa e doutorado em Educação pela Universidade de Cambridge. É investigador auxiliar no Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES) e professor convidado na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde é responsável pela cadeira de Comunicação de Ciência e Educação, no mestrado de Comunicação de Ciência. É membro da Direcção da Ciência Viva, à qual está ligado desde a sua fundação, exercendo o cargo de responsável pela Unidade de Comunicação e Imagem. O trabalho nas áreas da ciência e da tecnologia foi primeiro aplicado na programação multimédia para educação, o que o levou a Cambridge nos anos 90. Em Portugal, ocupou também funções no Ministério da Ciência e da Tecnologia e na Câmara Municipal de Lisboa, nas áreas da Educação, Juventude e Cultura.

Carlos Fiolhais é doutorado em Física Teórica pela Universidade de Frankfurt e Professor de Física da Universidade de Coimbra. É autor de “Física Divertida”, “Nova Física Divertida” e co-autor de “Darwin aos Tiros e Outras Histórias de Ciência”, na Gradiva, entre muitos outros livros, alguns deles traduzidos e publicados no estrangeiro. Dirigiu a Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra e dirige o Rómulo – Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra. Recebeu vários prémios e distinções, entre os quais o prémio Rómulo de Carvalho, o Globo de Ouro da SIC e Caras e a Ordem do Infante D. Henrique.

Filipe Pires é licenciado em Física/Matemática Aplicada pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, sendo coordenador do Núcleo de Divulgação do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) desde 1997. O Núcleo de Divulgação começou as suas atividades de promoção da cultura científica e educação informal em 1990. Entre outros projetos é responsável pela produção e apresentação das sessões no Planetário do Porto. Nas suas diversas atividades de contato direto foram envolvidas mais de 700 mil pessoas. A nível da organização e celebração de eventos foi coordenador em 2006 do projeto europeu FP6 Noite Europeia dos Investigadores, membro da Comissão Nacional do Ano Internacional da Astronomia 2009 e responsável pela participação do CAUP nos programas conjuntos com o Ciência Viva e Universidade do Porto.

Joana Barros é coordenadora da Associação Viver a Ciência (VAC), uma organização criada por investigadores com o objectivo de fortalecer a relação entre a ciência e a sociedade. A sua formação é em Biologia Molecular mas tem desenvolvido, no âmbito do seu pós-doutoramento na VAC, vários projectos que procuram explorar novos conteúdos e formas de divulgação científica. Um dos seus últimos trabalhos foi a realização do livro e exposição de fotografia “Vidas a Descobrir”, sobre cientistas lusófonas. Mais recentemente, realizou a longa-metragem documental “A História de um erro”, sobre a Paramiloidose. Os seus interesses centram-se em projectos de divulgação de ciência que tentem cruzar fronteiras culturais, nomeadamente através do audiovisual e da fotografia, para chegar a públicos diversos. EDITADA

Júlio Borlido Santos é licenciado em Biologia pela Universidade do Porto, mestre em Biologia Molecular e Celular pela Universidade de Coimbra e possui uma pós-graduação em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho. Trabalhou em Fisiologia Vegetal, foi professor do ensino básico e secundário e monitor na Universidade do Porto. Desde 2003 é coordenador do Núcleo de Cultura Científica (NCC) do IBMC.INEB, que funciona como ponte entre os investigadores deste Laboratório Associado e a sociedade. Neste âmbito, faz a gestão das ações de interação pública do IBMC.INEB, bem como dos programas de interação com escolas e com os media. Tem integrado vários projetos de Ciência e Sociedade, Arte e Ciência e de promoção da literacia científica em parceria com instituições nacionais e internacionais. Coordena o módulo de Ciência, Ética e Sociedade no programa doutoral GABBA e organiza cursos de formação contínua para professores. É colaborador no programa de Doutoramento de Educação e Divulgação das Ciências da FCUP.

Luís Azevedo Rodrigues (n. 1971) é doutorado em Paleontologia pela Universidad Autónoma de Madrid (2009), Espanha. De 2000 a 2008 foi investigador associado do Museu Nacional de História Natural da Universidade de Lisboa. Realizou investigação em mais de 15 museus de História Natural (Inglaterra, Argentina, Alemanha, E.U.A., França, China, Marrocos) e trabalho de campo na Patagónia argentina (2005 e 2006), Portugal, Espanha e China. É actualmente Director Executivo do Centro Ciência Viva de Lagos e professor do Ensino Secundário. Principais áreas científicas: Paleontologia de Vertebrados. Especialização em Paleobiologia de Dinosauria. Aplicação de técnicas morfométricas e computacionais (3D) a Dinosauria e outros grupos de vertebrados (Chiroptera, Aves, Pterosauria). Investigação científica no domínio da Paleontologia dos dinossauros, quer relacionados com a escavação e o estudo de restos esqueléticos, quer com o levantamento e o estudo de trilhos de pegadas (paleoicnologia). É blogger de Ciência convidado do jornal Público (desde 2006) e ScienceBlogs Brasil (desde 2009), tendo ganho o prémio Superblog em 2007 para o melhor blog de Educação e Ambiente. É colaborador desde 2004 de vários jornais nacionais. (laz.rodrigues@gmail.com)

Pedro Pombo é físico e Director da Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro. É perito em Holografia 3D e é docente no Departamento de Física da Universidade de Aveiro, onde tem leccionado ótica, holografia experimental, ondas, mecânica e eletromagnetismo. Possui experiência relevante em comunicação de ciência e programas de outreach, incluindo envolvimento de públicos em ciência e envolvimento de escolas. Durante os últimos 5 anos tem coordenado o desenvolvimento e implementação de exposições de ciência e laboratórios para centros de ciência, programas de TV e rádio, livros para crianças, CD educativos, módulos interativos, kits de ciência e shows de ciência. É coordenador do Projeto HoloRede – Holografia em Rede de Escolas, que nos últimos 16 anos tem desenvolvido trabalho na promoção do ensino experimental da física, através da holografia, envolvendo 32 escolas. Participa em vários projetos europeus e nacionais de investigação científica, divulgação de ciência e ensino da física.

Teresa Girão foi estudante na Universidade de Coimbra, onde concluiu o doutoramento em 2005, dedicado ao tema da terapia génica para o sistema nervoso central. Foi pós-doc no Sunnybrook Health Sciences Centre (Toronto, Canadá) entre 2005 e 2007, levando a cabo investigação sobre a degeneração e regeneração do sistema nervoso central em caso de envelhecimento e doença. Após o regresso a Portugal foi responsável pela criação do Centro de Ciência Júnior no Biocant – Centro de Inovação em Biotecnologia (Cantanhede), um projecto dedicado a proporcionar a estudantes e professores do ensino básico e secundário experiências laboratoriais inovadoras na área das ciências biológicas. É desde Junho de 2009 investigadora do Centro de Neurociências e Biologia Celular (Universidade de Coimbra), onde é responsável pelo Gabinete de Comunicação de Ciência, que tem a seu cargo a interacção com os media, as escolas, e o público em geral.

Comissão Organizadora

Joana Lobo Antunes é pos-doc em Promoção e Administração de Ciência e Tecnologia no Instituto de Tecnologia Química e Biológica (ITQB) e a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.
Licenciada em Ciências Farmacêuticas pela Universidade de Lisboa, Doutorou-se em Química Orgânica pela Universidade de Santiago de Compostela, tendo desenvolvido o trabalho laboratorial entre esta universidade e o Departamento de Ciências Farmacêuticas da Universidade de Pádua, em Itália. De volta a Portugal iniciou carreira docente na Universidade Lusófona, tanto no curso de Ciências Farmacêuticas como no de Farmácia. Paralelamente começou a interessar-se por teatro (desde 2006), a fazer actividades de comunicação de ciência (em 2007), tendo em 2009 unido as duas para construir o espectáculo de teatro fórum com cientistas para a Noite Europeia dos Investigadores.
Actualmente dedica-se ao projecto de pós doutoramento em comunicação de ciência, sendo também formadora em diversos workshops e cursos de storytelling e improvisação para cientistas (curso de Science Communication da Nova Doctoral School, Mestrado em Comunicação de Ciência ITQB/FCSH, curso de verão FCSH).

José Vítor Malheiros é consultor de Comunicação de Ciência. Foi jornalista durante a maior parte da sua vida profissional, tendo-se dedicado particularmente às áreas da Ciência e da Tecnologia, da Saúde, Educação e Ambiente. Criou a secção semanal de Ciência no semanário Expresso, a secção diária de Ciência do diário Público e fundou o site web do jornal Público. Mantém há vários anos uma coluna semanal de opinião no Público, jornal do qual foi um dos fundadores, em 1989. Integrou durante vários anos a direcção da European Union of Science Journalist’ Associations (EUSJA) e dedica-se ainda, a par da sua actividade como consultor, à formação de jornalistas e ao ensino da Comunicação de Ciência. É autor, com António Granado, do livro “Como falar com jornalistas sem ficar à beira de um ataque de nervos”. A par da sua actividade profissional, José Vítor Malheiros dedica-se a diversas causas no domínio do activismo social. (jvmalheiros@gmail.com)

Sílvia Castro is the Communications and Graduate Programs Director at MIT-Portugal Program (MPP) – an international collaboration involving MIT and government, academia, and industry in Portugal. Sílvia Castro graduated in Biochemistry at University of Porto (2001). She was accepted at the Graduate Program in Areas of Basic and Applied Biology (GABBA) in the same year and pursued a PhD in Developmental Neurosciences at University College London. It was at UCL that she developed a particular interest for Science Communication. She returned to Portugal in 2008 as post-doc fellow in Science Communication at the biomedical research institute Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC). She is mostly interested in studying how science is portrayed in the media and on the use of web-based platforms for communication and citizen participation in the fields of science and innovation. She is also a partner at the company Views of Science (VOS) that aims to design innovative products and services inspired by science (silvia.castro@mitportugal.org, pt.linkedin.com/in/silviacastro, https://twitter.com/Silvia_Castro)

Sílvio Mendes é responsável de comunicação na Associação Viver a Ciência (VAC) e na Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa. É licenciado em Comunicação Social pela Universidade do Minho e frequenta o Mestrado em Comunicação de Ciência na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Foi colaborador do projecto Comunicar Ciência, que criou workshops e manuais para apoiar a comunicação de ciência por parte dos cientistas. Trabalhou ainda como jornalista no semanário regional O Mirante, após um estágio curricular no jornal Público.

Anúncios